Jornal Letras do Alva   •   Director: Luís António Silva   •   Ano: III

Rui Rio critica forma como Governo lida com atribuição de apoios a pessoas afectadas

Rui Rio critica forma como Governo lida com atribuição de apoios a pessoas afectadas

Líder do PSD considerou que "é absolutamente evidente" a necessidade de uma dotação orçamental para as populações afectadas. O líder do PSD, Rui Rio, criticou esta terça-feira, em Oliveira do Hospital, o Governo e serviços públicos por falta de eficácia e sensibilidade na atribuição dos apoios às pessoas afectadas pelos incêndios de Outubro de 2017. PUB "Não consigo compreender como é que os serviços públicos não são sensíveis, não são eficazes no apoio e, acima de tudo, desculpam-se porque o prazo acabou ou porque altera o regulamento. Isso são coisas laterais em relação ao que está em causa", afirmou Rui Rio, que falava durante uma visita a vários locais afectados pelos incêndios de Outubro. O líder social-democrata considerou ser "uma mentira" quando o Governo diz que "está tudo bem, quando está tudo mal". Para Rui Rio, a atribuição dos apoios "nem tem muito a ver com a questão política, mas de postura na vida", considerando que o direito "não é só um direito por lei, por regulamento, é um direito ético, um direito moral, acima de tudo". Nesse sentido, criticou a forma como o Governo lida com a atribuição dos apoios às pessoas afectadas. "A questão é darem ou não darem o apoio às pessoas, acompanharem ou não acompanharem as pessoas e não se perderem a dizer que meteu fora do prazo ou que as regras foram alteradas", protestou, considerando que, apesar de a questão maior não ser o dinheiro, seria necessária uma maior atenção Governo do ponto de vista financeiro. "Sabemos que, do ponto de vista orçamental, a folga é pouca, mas isto é um caso extraordinário", afirmou, considerando que "é absolutamente evidente" a necessidade de uma dotação orçamental para as populações afectadas. Segundo o líder do PSD, "mais do que uma questão política, tem que ver com uma questão de solidariedade entre nós. E isto é válido para quem está na política, mas também para os serviços públicos, que muitas vezes emperram e não funcionam da forma como deviam funcionar". Cinquenta pessoas morreram e cerca de 70 ficaram feridas na sequência dos incêndios de Outubro de 2017 na região Centro, que também destruíram total ou parcialmente cerca de 1.500 casas e mais de 500 empresas.

in - https://www.publico.pt/2018/07/03/politica/noticia/rui-rio-critica-forma-como-governo-lida-com-atribuicao-de-apoios-a-pessoas-afectadas-1836715