Jornal Letras do Alva   •   Director: Luís António Silva   •   Ano: III

Portugueses são os que pagam mais pelo gás na União Europeia. Na luz, só os alemães têm uma fatura mais pesada. A culpa é dos impostos.

Portugueses são os que pagam mais pelo gás na União Europeia. Na luz, só os alemães têm uma fatura mais pesada. A culpa é dos impostos.

É em Portugal que os preços do gás são mais elevados, no quadro da União Europeia. De acordo com o Eurostat, em relação à electricidade, só a Alemanha consegue destronar as tarifas lusitanas. É em Portugal que os preços do gás são mais elevados, no quadro da União Europeia. De acordo com o Eurostat, em relação à electricidade, só a Alemanha consegue destronar as tarifas lusitanas. Usar gás em Portugal custa mais do que em qualquer outro Estado-Membro da União Europeia. De acordo com os dados divulgados, esta quarta-feira, pelo Eurostat, são os portugueses quem mais paga por este tipo de energia, mesmo tendo-se registado um recuo de 2% destas tarifas. No que diz respeito à eletricidade, Portugal só perde o campeonato dos preços altos para a Alemanha. Os números do gabinete de estatística de Bruxelas revelam que, em termos de paridade do poder de compra, foi em Portugal, em Espanha e em Itália que os consumidores mais pagaram pelo gás consumido. Luxemburgo, Bélgica e Estónia foram, por outro lado, os países onde menos se pagou pelo gás. Entre julho e dezembro do ano passado, por cá, os clientes pagaram 7,99 euros por cada 100kWh de gás, o que representou uma queda homóloga de 2% da tarifa. Isto quando, em média, na União Europeia, os preços do gás rondam os 6,33 euros. No preço praticado a nível nacional, as taxas e impostos tomaram uma fatia de 27%, o que fica em linha com a média comunitária. Comparativamente, no mesmo período, os consumidores espanhóis pagaram 8,65 euros e os italianos 8,74 euros. Em termos da carga fiscal, a Dinamarca com 56%, a Holanda com 51% e a Suécia com 43% ocupam os primeiros lugares da tabela. Campeões da eletricidade cara No que diz respeito à eletricidade, em termos de paridade do poder de compra, foi na Alemanha, em Portugal e na Bélgica que as faturas foram mais pesadas. Os consumidores que menos pagaram vivem, por outro lado, na Finlândia, no Luxemburgo e na Holanda. Por terras lusitanas, os clientes pagaram 22,3 euros por 100kWh de eletricidade, na segunda metade de 2017, o que simbolizou uma descida homóloga de 3% da tarifa. Neste caso, as taxas e os impostos pesaram 52% nos preços cobrados, sendo a carga fiscal praticada uma das mais pesadas da União Europeia (em par com a Alemanha com 55% e com a Dinamarca com 69%). Em comparação, em média na União Europeia, os consumidores pagaram 20,5 euros. Deste preço, 40% ficou a dever-se a taxas e impostos. No quadro comunitário, em termos homólogos, registou-se um recuo de 0,2% dos preços da eletricidade e de 0,5% dos preços do gás.