Jornal Letras do Alva   •   Director: Luís António Silva   •   Ano: III

O repovoamento do Concelho de Seia está a fazer-se com cidadãos brasileiros. Seia poderá vir a ser uma espécie de Vila de Rei (2)

O repovoamento do Concelho de Seia está a fazer-se com cidadãos brasileiros. Seia poderá vir a ser uma espécie de Vila de Rei (2)

Já começou o repovoamento do interior do País. Começou há 3 meses.

Não se trata de um artigo meramente opinativo. Trata-se da realidade.

O Jornal Letras do Alva tem conhecimento que no último trimestre do ano chegaram ao nosso Concelho perto de 30 cidadãos brasileiros. Vieram à procura de trabalho e a maioria já está a trabalhar.

Sabemos deste fenómeno porque no âmbito de outras funções somos chamados para fazer parte do júri de várias entidades que necessitam de recrutar trabalhadores.

Verificamos nos últimos tempos que há entidades no Concelho de Seia que necessitam de trabalhadores e não aparece ninguém do concelho para trabalhar. Não sabemos exactamente o porquê mas temos esta percepção.

Os cidadãos brasileiros além de estarem a chegar ao nosso concelho há 3 meses a esta parte em número considerável para trabalharem ficam a residir nos locais e nas aldeias onde estão a trabalhar.

Há casos de casais que estão a receber ambos o ordenado mínimo (600 €), pagam de renda de casa nas aldeias entre 100 e 150 euros sobrando-lhes cerca de 1.000 euros por mês para viverem normalmente e até para enviarem para as suas famílias no Brasil.

O Concelho de Seia agradece a chegada destes cidadãos.

Só numa IPSS que conhecemos começaram a trabalhar no passado mês de dezembro 3 cidadãos brasileiros. Têm habilitações, trabalharam em hospitais no Brasil até há poucos meses atrás mas o “efeito Bolsonaro” fez com que estes cidadãos abandonassem o seu país de origem e viessem à procura de melhor vida neste caso no interior do País. Estão contentes.

Os portugueses recebem bem os seus irmãos brasileiros e acima de tudo tratam-se de cidadãos e cidadãs jovens que podem vir a contribuir também no futuro para o aumento da taxa de natalidade do interior e certamente também para a questão do repovoamento tão necessário para o futuro do País.

Nós enquanto jornal do Concelho estamos atentos a este fenómeno, ou seja, não sabemos o porquê de quando há ofertas de emprego não aparecer ninguém de Seia para ocupar esses empregos mas também vemos e sabemos que essas vagas estão a ser ocupadas por cidadãos brasileiros.

Sejam bem-vindos “irmãos”, o interior do País precisa de vocês.

Por: Luis Silva