Jornal Letras do Alva   •   Director: Luís António Silva   •   Ano: III

Quando era pequenino

Quando era pequenino

Quando era pequenino
Tudo era maravilhoso
Fazia sol, caía chuva.
Num tom harmonioso.
Não havia tempos maus
Era sorrir para tudo
O choro era apenas
A consequência de um dizer não
Não havia pressa
Brincava ao pião, jogava à bola
O presente era o adormecer
O acordar o futuro
Na escola,
O cheiro do livro, do lápis e da borracha
O cheiro da sabedoria
Sem que fosse explêndida
Era um dia após o outro, sem pressas
Tinha a esperança
De um sorriso constante
De um saltitar vibrante
Do grito que me alerta
Uma criança cheia de esperança
Com um olhar sobre a vida
O que me desperta?
Uma ingenuidade pura
Um sorriso sem malícia
E o que me fascina em cada amanhecer
É recordar e trazer à lembrança
Como foi bom poder viver
Nos meus tempos de criança.

Read 307 times Last modified on sexta, 18 maio 2018 09:47
Rate this item
(0 votes)

About Author